conteúdo do menu

Câmara de Vereadores de Juranda

conteúdo principal
conteúdo principal

CÂMARA INSTAURA CPI (COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUERITO) CONTRA ATUAL ADMINISTRAÇÃO

data-href="http://index.php?mod=988&idNot=168" data-layout="standard" data-action="like" data-show-faces="true" data-share="true">
20/04/2016

Na sessão da câmara dessa segunda-feira, dia 18, os vereadores Claudemir Hernandes (PMDB), José Molina Netto (PT) e Remi Waldemar Welz (PSC), apresentaram o requerimento 003/2016, o qual visou à criação de uma CPI - Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar as licitações 101/2013, 102/2013, 116/2014, e assim, apurar indícios de fraude emissão de notas fiscais frias e superfaturamento de serviços prestados, como também a aquisição de peças e acessórios para frota de carros do município Juranda.

“Os vereadores que esta subscrevem nos termos do art. 48 do Regimento Interno, combinado com § 3º do art. 25 da Lei Orgânica e § 3º do art. 58 da Constituição Federal, REQUEREM, à Mesa Executiva desta Casa de Leis, a criação de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), composta de 03 membros, com objetivo de investigar as licitações 101/2013, 102/2013, 116/2014, para, no prazo de sessenta dias, podendo ser prorrogado conforme o regimento, apurar suposta fraude, emissão de notas frias e superfaturamento de serviços.”

Logo após a leitura do requerimento de implantação pedindo a CPI, foi colocado em votação dos vereadores da casa, sendo aprovada a abertura da CPI, por 07 votos favoráveis e 01 contra.

Votaram a favor os vereadores: Adeir da Silva Mota (PDT), Celso Folietti Carnieli (PSC), Remi Waldemar Welz (PSC), Cristiana Aparecida Locatelli Escobar “Cris Brasil” (PMDB), Claudemir Hernandes “Nenê” (PMDB), Mariano Mazur (PPS) e José Molina Netto (PT). Votou contra: José Aparecido da Silva (SD).

A comissão da CPI ficou forma da seguinte forma: José Molina Netto (PT) – Presidente, Remi Waldemar Welz (PSC) – Relator e, Claudemir Hernandes (PMDB) – Membro. Eles terão o prazo de 60 dias para conclusão dos trabalhos, podendo ser prorrogado conforme o regimento, para ser apurar suposta fraude, emissão de notas frias e superfaturamento de serviços.

Anexos:Não Existem Anexos cadastrados para esta Noticia.